sexta-feira, 23 de junho de 2017

Comprar artesanato online - 8 dicas

Imagem: Freepik

Puxa uma cadeira confortável porque hoje é dia de textão.
De vez em quando eles aparecem por aqui, pra te ajudar a entender melhor o mundo feito à mão e mostrar como trazê-lo pro seu mundo.
Existem pessoas que tem medo de comprar pela Internet. Talvez você seja uma delas ou conheça alguém assim. Medo de golpe, de receber coisas estranhas no lugar do que pediu, medo de não dar certo, medo e pronto. O desconhecido dá medo, certo?
Enquanto isso, artesãos e criadores independentes, com trabalhos originais, inovadores, inspiradores, personalizados, usam a Internet como principal meio de divulgação e venda de suas peças. 
A pergunta é: como juntar os dois lados?
Separamos uma lista de itens pra você conferir antes de pegar no cartão de crédito; ela não é exaustiva, mas pode te ajudar a identificar boas lojas e entrar de vez para o clube que gosta de receber o carteiro 😊

*Ponto 1 - Imagem
A maioria das lojas de rua tem uma vitrine, certo? Na internet, a vitrine É a loja. Você não pode tocar o produto, então precisa de fotos que te ajudem a entender como a peça é. Considere:

- qualidade: as fotos estão nítidas? Você consegue ver os detalhes? 

- quantidade: existem fotos de vários ângulos da peça? Em caso de roupas, sapatos e acessórios há um manequim/modelo para exemplificar o uso?

E uma observação importante: as fotos são próprias daquela marca, daquele artesão? Não vamos aqui entrar em detalhes de direitos autorais, mas apenas refletir sobre a questão (infelizmente comum) do uso indevido de imagens de terceiros. 
Alguém que se propõe a fazer um trabalho artesanal e original PRECISA ter suas próprias fotos. É desonesto retirar uma foto do Pinterest e colocar numa loja virtual ou anunciar no Facebook com o título "faço igual/encomendas abertas". Se o vendedor realmente faz (e faz bem) vai querer mostrar o próprio trabalho e não o alheio, certo? 
O quesito quantidade ali em cima já ajuda um pouco: se na loja que você pretende comprar um objeto tem apenas uma foto dele, desconfie. A partir de três é uma margem segura e demonstra que o vendedor se preocupou em te ajudar a conhecer melhor o produto. 
Outra dica: procure a imagem no Google. Basta clicar nela com o botão direito do mouse e na caixa de opções haverá "procurar imagem no Google". Isso faz com que você tenha certeza de que a foto realmente pertence àquela marca e que você não vai receber gato por lebre.


*Ponto 2 - Leia todas as letras, inclusive as miúdas
Uma boa loja vai esclarecer muitas das suas dúvidas na descrição do produto. Lá vão estar: do que é feito, qual o tamanho, quantas unidades, tempo de produção e entrega, para que serve etc.
Procure no site as políticas da loja, que são informações gerais de como a loja funciona e como trata questões de encomenda ou devolução, por exemplo.


*Ponto 3 - Verifique o frete
Pequenas marcas costumam utilizar os Correios como principal forma de entrega. É preciso esclarecer que este é um serviço caro e nem sempre satisfatório, mas ainda é o de maior alcance territorial e de menor custo.
É um dos riscos que quem trabalha artesanalmente corre, para poder continuar a levar o sonho pra frente. Sabendo disso, lembre:

- note o valor a ser pago pelo envio e quantos dias úteis são previstos para a entrega; na maioria das lojas virtuais basta colocar o produto no carrinho para obter essas informações;

- o vendedor é responsável direto pela encomenda até sua postagem. Após, a responsabilidade passa a ser dos Correios. Ainda assim, verifique quais são as medidas tomadas pelo vendedor em caso de falha na entrega ou extravio (olhaí as políticas da loja).


*Ponto 4 - Preço
Comparar apenas preços, em caso de produtos artesanais, pode resultar em tiro pela culatra. Não que não se deva comparar, mas diferentemente de um eletrodoméstico, que é exatamente o mesmo em todas as lojas e que só tem variação de preço baseada no quanto cada uma delas vai lucrar menos, no mundo feito à mão o preço é nota de corte. 
Sabe a história do bom, bonito e barato? Se é bom e bonito dificilmente vai sair por uma pechincha.


*Ponto 5 - Meios de pagamento
Tem medo de fazer depósito pra alguém que não conhece?
Escolha uma loja que disponibilize meios de pagamento seguros. O que isso quer dizer? Existem sistemas de pagamento que são utilizados em lojas virtuais com o intuito de tornar as transações mais seguras. Alguns dos mais conhecidos são o PagSeguro, o Moip ou o PayPal. São eles que abrem uma janela onde você vai informar os dados do cartão de crédito.
Se desejar, pode se cadastrar neles e deixar os dados do cartão gravados para futuras compras. Se não, basta informar os dados no ato da compra e tudo bem, nada será gravado. Jamais forneça dados do cartão ou senhas pessoais por email.
Boleto bancário é uma ótima forma de iniciação no mundo das compras online, lembrando sempre que o tempo de compensação (confirmação de pagamento ao vendedor) pode levar até 3 dias úteis (não vale pressionar com o comprovante, ok? Precisa mesmo esperar 😉).


*Ponto 6 - Avaliações
Sabe propaganda boca a boca? Essa é a versão virtual. 
Procure pelas opiniões de quem já comprou da marca. Elas ficam disponíveis na própria loja ou nas redes sociais. Verifique as positivas e, em caso de haver negativas, preste atenção em como a loja resolveu o problema. Nem sempre uma avaliação negativa acaba negativa, a arte de reverter um eventual problema deve ser valorizada num vendedor. 
Tenha bom senso.


*Ponto 7 - Redes Sociais
Pesquise se a loja da qual pretende comprar está presente no Facebook, Instagram, Twitter e outras redes. Essas costumam ser a mais forte forma de divulgação dos pequenos produtores e onde você poderá verificar se as fotos estão compatíveis com as da loja virtual e como a marca se comunica com seus fãs e clientes.


*Ponto 8 - Comunique-se
Se você encontrou uma loja organizada, com boas fotos e descrições detalhadas, preço que cabe no seu bolso e prazo ok mas ainda assim tem uma pulga atrás da orelha, não hesite: pergunte. E aproveite para avaliar como será o atendimento. Mas não se desespere: marcas pequenas costumam ter seus emails e redes sociais administrados pela mesma pessoa que produz as peças ou uma pequena equipe. Não é possível responder mensagens e produzir ao mesmo tempo, então a resposta pode demorar um pouco; considere entre 24h e 48h um tempo razoável, ok?


Com essa lista em mente (ou gravada nos favoritos, ou impressa), dê folga pros seus pezinhos das peregrinações aos centros de compras e comece a procurar produtos únicos nessa grande rede ao alcance das teclas. Deixamos como sugestão a lista de marcas confiáveis e bacanas da nossa seção Sexta-Feira Artesanal e, se você se animou a se aventurar pelas lojas da web através desse post, conta pra gente, tá?

Nenhum comentário:

Postar um comentário