sexta-feira, 20 de maio de 2016

Ilustração Delicada (Sexta-Feira Artesanal - 6)

Uma das artes manuais mais antigas é o desenho. A habilidade de retratar paisagens, pessoas ou objetos é mais antiga que a própria escrita e nasceu antes mesmo do papel; qualquer superfície era utilizada para se gravar imagens: pedras, troncos de árvores, o chão...
Existem muitas formas e estilos de se desenhar, de caricaturas a retratos realistas, de aquarelas a grandes telas abstratas; cada artista revela suas experiências e aprendizados formais ou informais no traço característico de suas obras.
Por aqui o desenho não é o forte; apenas o necessário para traduzir visualmente uma ideia (de um produto ou de uma peça auxiliar, por exemplo) e clarear a compreensão, mas no decorrer das nossas participações em bazares e todo o universo feito à mão que se abriu através disso, passamos a conhecer vários talentosos na arte dos rabiscos.
O estilo da Fabiana Shizue capturou nossos olhos e coração logo de primeira.
Ilustradora de várias mídias, tem sua própria linha de sketchbooks, agendas, quadros e bijuterias, a maioria em preto branco (ou com cores suaves e pontuais), linhas finas e detalhes, MUITOS detalhes!
Abrimos as fotos com o calendário que ganhamos no último sorteio feito por ela e que fica aqui na bancada:






sexta-feira, 13 de maio de 2016

Bolsas em Tecido (Sexta-Feira Artesanal - 5)

Bolsa. Esse acessório que tem o começo da sua história tão indefinido e tão entrelaçado com a história humana. Desde os registros em pinturas rupestres, passando pelos viajantes antigos carregando seus alforjes, pelas madames dos séculos passados com seus leques e lencinhos em delicadas sacolinhas até os bornais das marmitas dos boias-frias, o ser humano leva sempre consigo seus objetos pessoais para onde quer que vá.
Nascida da necessidade e do improviso, como apenas uma pele de animal ou tecido seguros pelas pontas, se aperfeiçoou nas mãos de artesãos em todo o mundo (algumas marcas guardam seus segredos a sete chaves) e após a revolução industrial entrou na cadeia de produção massiva, chegando a nós numa avalanche de cópias baratas em qualquer loja de esquina.
Absurdamente confere status se a placa traz uma determinada marca e arrecada fortunas tanto aos que trabalham com seriedade e zelo quanto aos que sem escrúpulos sobrevivem de falsificações. Um papel triste atribuído a essas nossas inseparáveis companheiras.
Mas nem tudo está perdido.
Artesãos modernos tem surgido em vários lugares, resgatando a habilidade das costuras bem feitas, das medidas variadas, materiais diversos e múltiplas utilidades, dando novo significado ao ato de carregar uma bolsa. Uma peça sua, não mais ditada por moda e capas de revistas "tem que ter", mas que acomode seus pertences e tenha características que lhe agradem. Claro, feita sem exploração, por quem ama o que faz e que se desdobra em aprendizados para concretizar ideias.
Fim do textão.
Quem faz? Onde encontrar? Design Bakana.