sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Sabonetes Artesanais - Devas (Americana/SP)

Era uma vez um chalé encantado lá no meio da... cidade.
Sim, porque se a gente dissesse que era no meio da floresta você já ia começar a pensar em como ia chegar lá e tal e coisa.
Mas como aqui a gente tenta facilitar ao máximo o encontro de quem valoriza o feito à mão e o comércio justo com quem faz isso acontecer, trazemos hoje esse cantinho perfumado que fica numa das principais avenidas de Americana, interior de SP.


A fachada já desperta a curiosidade e convida a entrar 🏡

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Jóias Autorais em Prata (Sexta-Feira Artesanal - 18)

Ourivesaria ou joalheria, arte de transformar metais preciosos ou não em jóias e acessórios para adorno pessoal. Desde registros antigos até os nossos dias esse é um ofício valorizado em todas as classes sociais e anéis, brincos, colares, pulseiras carregam os mais variados significados para homens e mulheres. 
Grandes empresas internacionais construíram impérios através da fabricação e comércio de jóias, muitas vezes sob as influências da indústria da moda e a ela aliadas. Um comércio de luxo, inalcançável a boa parte da população, o que acaba gerando uma enxurrada de cópias baratas e falsificações a preços módicos, democratizando a ditadura das passarelas.
Posto o pano de fundo, é claro que a gente anda na contramão. Óbvio que a gente vai procurar pessoas talentosas que dominam as técnicas de transformar prata e ouro em peças delicadas ou poderosas, de todos os tamanhos. 
A prata tornada em beleza e capricho sai das mãos da Vivian, designer que começou montando bijuterias por hobby e acabou estudando joalheria, para poder criar as peças que só existiam dentro da sua cabeça.
Agora que elas são reais, dá uma olhada:

Anéis delicados ou mais marcantes

terça-feira, 15 de novembro de 2016

Como presentear - uma arte desaprendida


Imagem: Pinterest/edição


Nossa amiga Wikipédia nos disse isso aqui:
"Presente é tudo aquilo que se oferece, de forma gratuita, a outro indivíduo com a intenção de fazer este mais feliz, em sinal de atençãoconfiança, amor ou amizade e que seja de forma espontânea.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Armarinho Criativo - Micapullo (Curitiba/PR)

Vamos estrear nova categoria neste blog? Vamos!
Sobre o que? Apesar do título criativo #sqn, não é sobre viagens; pelo menos não no sentido de dicas em geral, mas no sentido adequado a um blog apoiador/divulgador das manualidades desta vida: compartilhar lugares e eventos em que estivemos, que sejam ligados ao comércio local e justo e que valorize o feito à mão,  para que caso você também visite essas cidades e se interesse pelo meio artesanal, tenha endereço certo para conhecer.
Curitiba mora no nosso coração e será responsável por alguns posts dessa tag; nossa primeira parada fica no bairro Alto da XV e atende pelo nome de Micapullo, um armarinho criativo. Por lá você encontra o que se espera de uma loja do tipo, como botões, fitas, tesouras, linhas, tecidos e todas aquelas miudezas tão necessárias nos nossos projetos inventivos, mas encontra também peças de artesãos locais, já prontinhas para presentear ou pra levar pra si mesmo.
Quem nos recebeu com muita simpatia numa terça-feira nublada foi o Felipe, irmão da Letícia (que infelizmente não tivemos o prazer de conhecer) nos permitindo fotografar tudo pra trazer aqui pro blog. Apesar dessa visita ter sido planejada, acabou sendo feita numa ocasião diferente e as fotos são de celular, mas é bem possível conhecer um pouco do ambiente:


Aqui, a fachada: à esquerda fica o espaço onde são organizados eventos e oficinas
e à direita, a entrada da loja

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Esculturas em Papel Machê (Sexta-Feira Artesanal - 17)

Hoje o nosso convite é para uma viagem a outro país. Não, ele não está no Google Maps e você não precisa de um centavo sequer para visitá-lo; só vir com a gente.
Você já deve ter ouvido a história de uma menina que, num momento de folga, encontra um coelho apressado e o segue, caindo em sua toca e descobrindo um mundo cheio de personagens bizarros, engraçados, absurdos e vive uma história surreal num reino fantástico. Sim, é a história de Alice no País das Maravilhas.



Mas o país pra onde vamos hoje não tem nada de bizarro; pelo contrário, é cheio de sensibilidade e delicadeza e foi criado por nossa protagonista seguindo seu próprio talento.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Sapatinho Ovelha - Antes e Depois


Próximas integrantes da seção Antes e Depois, um tantinho atrasadas, mas chegaram: as ovelhinhas. Atrasadas porque apesar de terem sofrido uma transformação total, produzimos pouquíssimas unidades do modelo antigo; na verdade, elas talvez tenham sido as primeiras a ganharem uma repaginação, na época em que nem o blog existia... o.O 
Mesmo a primeira versão tendo um pouco mais de identificação com as ovelhas de verdade (tirando, é claro, esse rosa do rosto - rsrsrs), o conceito "carneirinho de livro infantil" falou mais alto e acabamos nos dando essa liberdade.
E pelo jeito foram aprovadas, considerando o  tamanho do rebanho que já foi para outras pastagens... 
Vamos às fotos:

Versão 2013. A carinha cor de rosa afugentava mães de meninos... 

sábado, 1 de outubro de 2016

Mercadinho Artesanal (de casa nova!)

No último fim de semana estivemos em São José dos Campos/SP, na nossa quinta participação no Mercadinho Artesanal. Já falamos como foi nossa estreia por lá, no ano passado, mas agora o evento mudou de espaço, muita água rolou debaixo da ponte e são várias novidades pra contar e mostrar sobre esse bazar tão querido lá do Vale do Paraíba.
Tem coisa mais fofa pra representar mudança de casa do que esse pingente?

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Caixa Cosmo - Clube de Assinatura (Sexta-Feira Artesanal - 16)

De todas as conversas que você tem participado ultimamente, quantas vezes se falou sobre o tempo? Que as pessoas estão sem tempo, que tudo é uma correria, que a rotina engole qualquer tempo livre que se encontre?
Que esse carrossel chamado vida tá girando tão rápido que você não consegue alcançar o amiguinho da frente e o de trás não te alcança? Muitas vezes ou poucas?
E quantas pessoas se deixam agarrar por essa ciranda e começam a pensar de forma acelerada, sempre esperando o próximo fim de semana, as próximas férias, a próxima emoção e começam a querer tudo pra ontem?
Se isso faz sentido, deixa a gente te convidar pra uma pausa, uma pisada no freio e a redescobrir a espera e a surpresa.

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Decoração em Ferro (Sexta-Feira Artesanal -15)

Lembra das aulas do pré-primário (olha a velharia) quando a professora dava tarefas de recorte de figuras? 
A galera que trabalha com feltro e scrapbook nos dias de hoje devia se sair bem naquela época, se bem que a Silhouette anda adiantando a vida de muita gente.
Mas não, hoje não vamos falar de feltro nem de scrapbook. Descobrimos alguém que elevou a brincadeira de recortes a outro nível, um mais pesado, podemos dizer. Troque o papel sulfite, cartão, laminado por folhas de metal e tesourinhas de ponta arredondada por uma boa tesoura de serralheiro. Junte sensibilidade e criatividade e tudo isso terá nome: LS Arte em Ferro. Numa feira que fizemos aqui em Piracicaba, em abril, conhecemos o Leonardo, que é o artesão por trás da marca há mais de 20 anos.
Quem participa como expositor em feiras e bazares sempre espera uma folguinha pra dar aquela volta e conhecer de perto o trabalho dos colegas e, claro, levar algo pra casa (a gente valoriza, mesmo).
Então, na conferida das mesas do evento, topamos com isso:


Uma crocheteirinha! *0*

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Bijuterias Únicas (Sexta-Feira Artesanal - 14)

O título "bijuterias" desse post é apenas um subterfúgio espertinho pra atrair as meninas... uahahahaha! Mas os meninos são bem vindos, também, ok?
Então, agora que tá todo mundo aqui, pergunta: já ouviram falar de Oshibana? Se não ouviram, é possível que tenham feito sem saber: quem já guardou uma flor ou folha dentro de um livro, até secar? 
Pois é, Oshibana é a técnica de desidratar flores, folhas, vegetais, mantendo sua textura e cor originais e transformar em trabalhos de arte, com várias aplicações como quadros, caixas, luminárias, velas e... bijuterias! Rá! Era verdade o título... hehehehe
Nascida na Europa, entre botânicos que enviavam cartas com ervas medicinais secas, visando estudo, difundiu-se pelo mundo e chegou ao Japão, que hoje é conhecido como o maior reduto da arte. Talvez pela destreza e minuciosidade, talvez pela habilidade em lidar com o tempo (porque não dá pra acelerar o processo, é necessário esperar) que esse povo tão querido tem.
Na prática, é isso aqui:


Anéis

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Bolsas Fecho da Vovó (Sexta-Feira Artesanal - 13)

Uma das coisas boas no mercado artesanal é a variedade. Em vez de uma, duas ou três grandes empresas fazendo produtos semelhantes e não satisfazendo um público que busca por originalidade, o feito à mão entrega peças com as mesmas finalidades mas com "cara", com identidade, seja ela gerada pelo próprio artesão ou numa mistura das características da marca com os desejos dos clientes, como num objeto personalizável, por exemplo.
Além disso, peças artesanais são feitas em pequena, no máximo média escala e isso abre possibilidades para que mais gente invista no trabalho manual, imprimindo nele valores e ideias e gerando mais diversidade de oferta, abrangendo demandas específicas.
Ok, vamos à parte prática. Já falamos sobre bolsas, aqui, certo? E hoje vamos falar sobre elas de novo, mas nem tá valendo esse "de novo" porque uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa, confia e vem com a gente.
Conhecemos a Modos de Mocinha nas navegadas pela internet. Curtimos a página, acompanhamos o trabalho delas de longe, até o dia em que nos conhecemos pessoalmente lá no Bazar Ógente e desde então elas são As mocinhas. Irmãs, a Gabi e a Carol transformam tecidos em bolsas com uma característica em comum: aquele fecho metálico, mais conhecido como fecho da vovó.


Prazer, sou o fecho da vovó

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Decoração Infantil em Madeira (Sexta-Feira Artesanal - 12)

Não é novidade por aqui que somos fãs de peças infantis que sejam atemporais, que não venham atreladas à marcas de desenhos animados ou qualquer produto de apelo massificado como filmes ou programas televisivos.
Que tenham cor, que possam ser usadas para criar as próprias histórias, que encantem através da descoberta da imaginação; prioritariamente feitas de forma artesanal, com sustentabilidade e carinho.
Pois o casal Letícia e Etto entraram pra nossa lista de preferências desde que vimos pela primeira vez o trabalho deles na Kaloré Arte & Design.
Inspirados em contos de fadas, animais, elementos da natureza e brincadeiras, criam quadrinhos, suportes de livros, organizadores, varais decorativos, aparadores e uma série de objetos em madeira revestida com papéis coloridos que cabem em qualquer decoração (dica: tem muito adulto que acaba "roubando" uma peça ou outra pra si, mesmo que a casa não tenha crianças). 
Rufem os tambores para a entrada das fotos:

Aparador de livros


sexta-feira, 22 de julho de 2016

Chocolate do Grão à Barra (Sexta-Feira Artesanal - 11)

Sim, você leu direito: chocolate. Esse alimento que inicialmente foi uma bebida amarga dos indígenas, atravessou o oceano Atlântico até a Europa, ganhou açúcar, baunilha, especiarias e leite, correu o mundo, transformou-se em barras e é hoje um dos alimentos mais apreciados no planeta (há rumores de que está se esgotando - tomara que não!).
Infelizmente, como quase tudo na indústria alimentícia, sofre hoje nas garras do lucro desenfreado e na fraca legislação do nosso país, sendo tão misturado a saborizantes artificiais, estabilizantes, quantidades absurdas de açúcar e gordura vegetal hidrogenada que fica difícil encontrar uma barra em um supermercado que faça valer o nome chocolate. Com preço baixo (já que se tem ingredientes baratos e quase nada de cacau de verdade), lesam consumidores, que acabam enganados por mudanças tênues ao longo do tempo, que "acostumam o paladar" aos poucos.  Já se perguntou porque aquele bombom da infância já não corresponde às lembranças doces dos dias passados?
Felizmente existem pessoas que se esforçam em preservar a integralidade do cacau e seus derivados, ainda que em produções de pequena escala (mas que abre possibilidade à um produto com atenção aos detalhes e permite que várias pessoas possam se interessar pelo processo, estimulando novos empreendimentos e diversidade de oferta).
Grata surpresa desse ramo artesanal foi a Raros Fazedores de Chocolate.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Sapatinho Coruja - Antes e Depois

Uma das características que norteiam o nosso trabalho aqui na ScolAstika'S é  o aperfeiçoamento. Estamos sempre em busca de novas formas de fazer as coisas, sejam elas os produtos em si, a maneira de atender, de escrever, de fotografar etc. Mesmo que algo esteja estabelecido e funcionando, de tempos em tempos a gente passa uma revista geral, pensando: dá pra melhorar?
Frequentemente dá. Se não uma substituição permanente, uma temporária, uma alternativa pra variar um pouco.
Isso acontece porque vamos conhecendo mais coisas, descobrindo novas técnicas, combinações, métodos e acabamos aplicando isso no cotidiano da loja.
Desde que começamos a marca muita coisa saiu de linha pra nunca mais voltar, já que fomos refinando nossa identidade e definindo melhor o que combinava com a gente, com aquilo que a gente sonhava em trazer pro mundo (esse post de dois anos atrás fala um pouco sobre isso).
Outras criações se esconderam por um tempo e já se preparam para voltar à ativa (olha a novidade aí!), enquanto outras ganharam uma repaginada total da noite pro dia, como é o caso das estrelas do post: as corujinhas!
Começamos por elas uma série-sempre-aberta-à-atualizações, a Antes e Depois, que vai mostrar como eram algumas das nossas produções no passado e como estão agora. Vamos conferir?

2013 - A primeira versão, em lã

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Crochedermia (Sexta-Feira Artesanal - 10)

Hummm... 
Leu o título e não faz ideia do que seja Crochedermia? Vem com a gente!
Você já deve ter visto, ao menos em filmes, aquelas cabeças de alce empalhadas e penduradas em salas e escritórios de homens de negócios ou que cultivam a caça como hobbie. Talvez, em locais mais próximos, como açougues e fazendas, cabeças de gado espalhadas pelas paredes. Confere?
Pois então. Há quem diga que aquilo é de extremo mau gosto, há quem tenha medo e ainda quem gostaria de ter um, mas não sabe como. E o nome é taxidermia.
Nos últimos anos surgiram, inclusive, réplicas dessas "cabeças" em mdf ou gesso, coloridas, neutras e de vários tamanhos e a influência chegou também ao crochê, daí o termo: taxidermia + crochê = crochedermia.  Nós mesmas pensamos em nos aventurar numa coleção desses enfeites de parede, numa versão mais fofa, mas... Alguém pensou nisso antes! E, não, isso não é uma denúncia ou coisa parecida, porque a responsável pelo trabalho é a Patricia, uma querida que conhecemos no primeiro Bazar Ógente que participamos e que nos fez desistir rapidinho da ideia porque... ela arrasa! Hahahaha! Sério, é muito legal termos uma ideia e a encontrarmos já traduzida por alguém e de forma tão colorida e bem feita.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Bijuterias Sustentáveis e Biojóias (Sexta-Feira Artesanal - 9)

Hoje é dia de falar sobre um trabalho sensacional, com direito a reaproveitamento e mistura de materiais; dessas pérolas que a gente descobre às vezes tão perto da gente e não sabe porque demorou tanto tempo pra encontrar. Aliás, o tempo já está no nome dessa marca de ecojóias e bijuterias especiais - Através dos Tempos.
Criada pela Sheila, uma moça super simpática e divertida, que utiliza madeiras recicladas de movelaria antiga, demolição ou madeiras certificadas, combinadas com prata e também bijuterias com detalhes moldados em polymer clay, que é um tipo de massa de modelar que passa por queima para endurecer - quase como uma cerâmica.
Cada acessório é único; o acabamento acetinado da madeira é super confortável e agradável ao toque (algumas são naturalmente perfumadas), as peças em polymer são praticamente pequenas telas, ou como está no site "Artes de Usar".
Tudo é feito em harmonia com o nome: peças atemporais, que atravessam os anos, mantendo sua beleza e singularidade, sem seguir modas passageiras; são mesmo jóias artesanais sustentáveis e criativas. 
Sem mais delongas, fotos!



Coloridos                                "Básicos"                         Com detalhes


sexta-feira, 24 de junho de 2016

Cerâmica Criativa (Sexta Feira Artesanal - 8)

Interessante como descobrimos que gostamos de algo com o decorrer do tempo. Às vezes de algo que estava lá desde sempre, no cotidiano, mas com outra cara que não conseguimos reconhecer. De repente alguém coloca um novo significado sobre aquilo e ploft!: olha isso!
Todo mundo tem em casa uma caneca de café, um vasinho de violetas ou de algum tempero, um prato de servir ou de decorar. Porcelana, cerâmica ou como diziam as avós, "uma louça" (tudo era louça - rs).
Tudo vindo de fábricas, lojas famosas que vendiam aparelhos de jantar de 398578 peças, tudo combinadinho, objeto de desejo das donas de casa, ou aqueles cachepôs tosquinhos das antigas lojas de 1,99. Aquilo que a gente vê todo dia e nem admira (ou nem tem motivos pra admirar, porque é meio sem graça, sabe?).
Mas aí chega a era da economia criativa (oba!) e o universo se expande, revelando artistas que trabalham a argila, moldam formas, combinam esmaltes de maneira muito mais livre e original e num instante o café vem numa caneca divertida e as plantinhas crescem de dentro da cabeça de algum animal. Hein?
Isso aí, mesmo. A Cumbuca Chic espalha pelo mundo peças inusitadas para diversos usos, desde 2011, fazendo um sucesso enorme. Formada em Artes Visuais pela Unicamp, Priscilla Ramos é a criadora da marca e usa além da técnica de torno, moldes criados por ela mesma, através dos quais dá forma à argila (em massa ou líquida).
Muito difícil escolher os favoritos para as fotos!

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Roupas Divertidas para Bebês (Sexta-Feira Artesanal - 7)

Já falamos nessa seção sobre enxoval para bebês (lençóis e acessórios para o quarto); hoje vamos mostrar roupinhas. 
Nada de grandes corporações fazendo tiragens e mais tiragens de pecinhas vendidas de baciada nos EUA, que isso, já deu pra ver, tem apoio zero por essas bandas.
Produto brasileiro, com tecido de qualidade, costurado por pessoas com condições justas de trabalho e bordado com carinho e criatividade, tudo sendo pensado para o conforto das pessoinhas que vão vestir os macacões, conjuntinhos, saídas de maternidade da... Coisinhas da Anne!
A Anne é uma mulher dessas que equilibram garra, alegria, simpatia, determinação tudo na mesma bandeja e o resultado é um trabalho de qualidade com atendimento de primeira. 
Quem tem a oportunidade de ver de perto se encanta com o toque macio e com as cores bem combinadas, mas a Dona Internet ainda não tem teletransporte, então aí vão as fotos:


    Rockers                               Chefs                          Monstrinhos divertidos

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Ilustração Delicada (Sexta-Feira Artesanal - 6)

Uma das artes manuais mais antigas é o desenho. A habilidade de retratar paisagens, pessoas ou objetos é mais antiga que a própria escrita e nasceu antes mesmo do papel; qualquer superfície era utilizada para se gravar imagens: pedras, troncos de árvores, o chão...
Existem muitas formas e estilos de se desenhar, de caricaturas a retratos realistas, de aquarelas a grandes telas abstratas; cada artista revela suas experiências e aprendizados formais ou informais no traço característico de suas obras.
Por aqui o desenho não é o forte; apenas o necessário para traduzir visualmente uma ideia (de um produto ou de uma peça auxiliar, por exemplo) e clarear a compreensão, mas no decorrer das nossas participações em bazares e todo o universo feito à mão que se abriu através disso, passamos a conhecer vários talentosos na arte dos rabiscos.
O estilo da Fabiana Shizue capturou nossos olhos e coração logo de primeira.
Ilustradora de várias mídias, tem sua própria linha de sketchbooks, agendas, quadros e bijuterias, a maioria em preto branco (ou com cores suaves e pontuais), linhas finas e detalhes, MUITOS detalhes!
Abrimos as fotos com o calendário que ganhamos no último sorteio feito por ela e que fica aqui na bancada:






sexta-feira, 13 de maio de 2016

Bolsas em Tecido (Sexta-Feira Artesanal - 5)

Bolsa. Esse acessório que tem o começo da sua história tão indefinido e tão entrelaçado com a história humana. Desde os registros em pinturas rupestres, passando pelos viajantes antigos carregando seus alforjes, pelas madames dos séculos passados com seus leques e lencinhos em delicadas sacolinhas até os bornais das marmitas dos boias-frias, o ser humano leva sempre consigo seus objetos pessoais para onde quer que vá.
Nascida da necessidade e do improviso, como apenas uma pele de animal ou tecido seguros pelas pontas, se aperfeiçoou nas mãos de artesãos em todo o mundo (algumas marcas guardam seus segredos a sete chaves) e após a revolução industrial entrou na cadeia de produção massiva, chegando a nós numa avalanche de cópias baratas em qualquer loja de esquina.
Absurdamente confere status se a placa traz uma determinada marca e arrecada fortunas tanto aos que trabalham com seriedade e zelo quanto aos que sem escrúpulos sobrevivem de falsificações. Um papel triste atribuído a essas nossas inseparáveis companheiras.
Mas nem tudo está perdido.
Artesãos modernos tem surgido em vários lugares, resgatando a habilidade das costuras bem feitas, das medidas variadas, materiais diversos e múltiplas utilidades, dando novo significado ao ato de carregar uma bolsa. Uma peça sua, não mais ditada por moda e capas de revistas "tem que ter", mas que acomode seus pertences e tenha características que lhe agradem. Claro, feita sem exploração, por quem ama o que faz e que se desdobra em aprendizados para concretizar ideias.
Fim do textão.
Quem faz? Onde encontrar? Design Bakana.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

3 anos

Imagem: We<3it 

Sabe aquelas pessoas que esquecem a data do próprio aniversário? Aqui acontece.
Sabe quando a sua marca é você mesmo (e a sua mãe, no caso)? A gente esquece também. Mais ainda, talvez, com a cabeça ligada em criar, testar, produzir, melhorar, fotografar, divulgar, aprender e por aí vai.
Nessa levada, passamos os dois primeiros aniversários da ScolAstika'S sem ao menos uma mençãozinha no Face, nem um bolinho de fubá, sabe como?
Mas esse ano vai ser diferente. A gente se planejou, organizou uma festa de arromba pra 500 pessoas, fez buffet, decoração e chamou as mídias. Sqn. 
Mas vai ter post! 

sexta-feira, 11 de março de 2016

Encadernação e Cartonagem (Sexta-Feira Artesanal - 4)

Você é daquelas pessoas que piram quando entram numa papelaria? Ou conhece alguém assim? Por aqui, melhor admitir: sim! Bloquinhos, cadernos de vários tamanhos, lápis, borrachas, clipes e mil trequinhos que, veja bem, vamos usar muito #sqn. Mas são lindos #sqs 
Como várias coisas na vida, o que antes era feito artesanalmente passou a ser produzido em massa e nos acostumamos a ver certos produtos apenas em prateleiras de grandes lojas e até a considerar que apenas máquinas poderiam produzir aquilo. Que estranho! Afinal, a maioria das coisas que usamos no dia a dia (roupa, comida, produtos de limpeza e higiene) sempre foram feitas manualmente, em pequena escala. Claro, o mundo foi ficando cheio de gente e a necessidade de suprir as necessidades das pessoas acabou por gerar grandes empresas fazendo grandes quantidades de coisas e nessa tudo começou a ficar igual pra todo mundo, em todo lugar.
Aí, de uns tempos pra cá, começou a surgir uma galera questionando um pouco essa "uniformização" e buscando uma volta às raízes, lembrando de como é possível produzir certos objetos, resgatando antigas profissões e contribuindo para um comércio local e mais justo, de forma mais sustentável.
E aquele papo de papelaria lá em cima, que que tem a ver? Oras, tudo a ver! Tem gente costurando à mão folhas e mais folhas, pautadas, sem pauta, coloridas, criando capas para álbuns, cadernos, livros, fazendo bloquinhos, pranchetas... ah, uma porção de coisas! Quem? Donna Rita!

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Decoração em Madeira (Sexta-Feira Artesanal - 3)

Sabe gente que põe a mão na massa? Que trabalha duro, que busca melhorar seu fazer cada vez mais?
Que tem capricho e bom gosto e vai construindo uma história de sucesso? Veja bem, sucesso é relativo, mas não dá pra olhar pra Oficina Singular e não ver uma plaquinha (pintada à mão - rs) com a palavra sucesso.
A criadora da marca, Lucimara Scomparim, é de uma energia contagiante, do tipo que bota todo mundo pra fazer alguma coisa, pra rodar, pra produzir. Ela poderia ser a personificação do nosso "vamo que vamo" de cada dia.
Numa mistura de materiais e técnicas, ela transforma caixotes em lindas bandejas, molda e pinta à mão plaquinhas de identificação para hortas ou mandalas coloridas para jardins. E anda enveredando pelo lado dos bordados, agregando ainda mais delicadeza aos espaços que recebem alguma peça dela. Ou seja, opções para embelezar a casa por dentro e por fora, tudo feito a partir de materiais de qualidade, em quantidades limitadas, o que torna seus objetos realmente singulares.
Bora conferir?


Bandeja para lavabo (ou banheiro). Organiza com estilo

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Cosmética Natural (Sexta-Feira Artesanal - 2)

Geralmente, quando as pessoas pensam em artesanato, não pensam em... cosméticos. Até porque cosmético bom é o das grandes empresas, com grandes campanhas de marketing, estrelas de cinema de cabelos esvoaçantes, com novidades imperdíveis lançadas a cada semana. É? Sei não...
Ou talvez lembrem de sabonetinhos coloridos e com perfume forte, geralmente usados como sachê, ganhos como lembrancinha de algum evento.
O que muitos não sabem, é que a cosmética artesanal tem tanta riqueza, tantas possibilidades, perfumes, benefícios que nem dá pra falar tudo de uma vez.
E, sim, dá pra se cuidar DE VERDADE com produtos naturais, sem corantes artificiais, "atos", "enos", "itos" e várias químicas sintéticas que ninguém te fala exatamente pra que servem. Mais? Que tal se eles não forem testados em animais? Melhor ainda, não?
Se eles forem produzidos de forma sustentável por uma pessoa alegre, que ama o que faz, que estuda muito pra se aperfeiçoar, tem um atendimento bacana e profissional sem deixar o carinho de lado, será que rola uma chance de experimentar?
Mas... onde encontrar tudo isso?
Oras, muito simples: Baths! (clica!)




sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Enxoval Infantil Original (Sexta-Feira Artesanal -1)

Dando início à nossa série Sexta-Feira Artesanal (não sabe do que se trata? aqui), uma marca que já divulgamos na nossa fanpage, mas gostamos tanto que escolhemos para a abertura: Margarida!
A responsável pela marca é a Patricia, uma moça super simpática e dona de um bom gosto incrível para criar roupas de cama (ou seria de berço? rs) para bebês. 
Para quem busca originalidade para o quarto do futuro membro da família, seus lençóis são simples (mas não sem graça!) e cheios de cor, estampas divertidas e combinações inusitadas, em tecidos de qualidade e toque macio.
Além disso, ela ainda tem a exclusividade do Ninho; uma ideia muito legal, inspirada em modelos de outros países, para a hora do soninho dos bebês. Alguns dos benefícios:

- Simula o útero materno
- Dispensa o uso de protetores, almofadas e cueiros

- O bebê pode dormir em qualquer cama, como se estivesse em seu berço

- Não permite que o bebê role ou sufoque

- Pode ser transportado e lavado facilmente

Acrescentamos: chovem avaliações positivas das mamães nas redes sociais dela!

Sem mais delongas, elegemos nossos preferidos:



O Ninho: fechado, recomenda-se até os 5 meses; aberto,
 até quando o bebê quiser...

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Sexta-Feira Artesanal

Imagem: Google (com alterações)

Vejam só como as mudanças estão indo bem: semana que abre e fecha com post! Uia!
Decidido que este blog, além de um registro do nosso cotidiano, se torne um espaço de propagação do bom artesanato, criada está a Sexta-Feira Artesanal.
E o que seria isso?
Basicamente, um dia da semana reservado exclusivamente para divulgar marcas artesanais conhecidas pessoalmente por nós! 
Por que?

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Mudanças


Mais de 7 meses sem postagem por aqui; como o tempo passa...
Várias coisas mudaram nesse tempo, inclusive o nome e o visual deste blog.
A gente queria ter um espacinho nosso nesse enorme território que é a internet, um lugar independente de redes sociais, onde todo mundo pudesse nos achar e ver nossas criações e agora aqui está: ScolAstika'S Crochê tem casa e endereço fixos.
Nossa loja também mudou de lugar e estamos no Elo7, a maior plataforma de venda de artesanato do país (olha ali do lado, o botãozinho com o link direto). 
Seguimos no Facebook e no Instagram, mas aqui sempre dá pra contar mais histórias... rs
Esse ano temos a intenção de usar melhor esse blog, mostrando um pouco do nosso trabalho (e de quem a gente gosta), tentando trazer alternativas para quem valoriza e procura o trabalho artesanal e criativo.
Tomara que vocês gostem da nossa casa e venham sempre nos visitar!




Imagem via Pinterest