quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Ano Novo

E começou! Mais um ano, mais um ciclo de vida. Nada mágico, revolucionário ou cheio de fogos de artifício (se bem que teve, né?), mas é inevitável o clima de recomeço.
Os planejamentos pedem passagem, os estoques gritam por novos produtos, as vitrines físicas pedem novos habitantes e as virtuais, novas fotos.
E é assim que a gente tá passando os dias por aqui.
Mas como o ano passado ainda tá ali no cantinho, meio por perto, vale contar duas historinhas (reais) das últimas duas feiras que participamos:

"Garotinha de seus 7 anos, mais ou menos, chega na nossa mesa e diz:
_ Queria aqueles ali... - apontando para um dos presépios - ... quanto é?
_ É *** reais...
Estendendo algumas notas, ela pergunta:
_ Isso dá?
Respondo que ainda falta um pouco (pouco menos da metade).
Com uma carinha pensativa ela pega o dinheiro de volta e vai falar com a mãe.
Volta em alguns minutos, com o valor total e pede:
_ Quero eles.
Pergunto onde vai colocar os bonequinhos, ao que ela diz:
_ No meu quarto...
Pega o embrulho e sai contente, balançando a sacola... "

"Duas senhoras idosas se aproximam, ambas com certas dificuldades para andar.
Uma vem de óculos escuros e demoro alguns segundos para perceber que é cega, guiada pela irmã.
Param e começam a perguntar sobre as peças e a senhora cega "vê" com as pontas dos dedos delicados os detalhes de cada uma. Pergunta sobre as cores. Enxerga com o coração.
A outra leva um dos presépios e ao ser questionada se seria presente, responde:
_ Vou guardar pra mim, mesmo... "

E são essas situações que enchem o coração que trazem sentido ao nosso trabalho. Alcançar o sentimento das pessoas, tocar nas suas emoções é o que nos move. Encontrar essa gente que está de peito aberto pra entender o significado do feito à mão, do carinho depositado em cada peça, do valor do tempo usado e da vida empregada é que faz nossa alegria e nos enche de disposição para fazer mais.
Que esse ano seja repleto de novas oportunidades, bons encontros e sabedoria para escolher o que tem importância, o que é real e faz bem de verdade.

Bora fazer um feliz ano novo?