segunda-feira, 7 de julho de 2014

Vejo flores em você

Ói nóis aqui, traveiz! :)
Passado o furacão inicial da mudança de casa/ateliê, eis um tempinho pra escrever um pouco.
Digo inicial, porque outros virão. Sabe como é: casa nova precisa ir ficando com a nossa cara; vamos tentar aproveitar o embalo do "tudo novo" pra engatar pequenas reformas e aí já estamos prevendo novos furacõezinhos.
Duas semanas depois, ainda temos caixas por aqui. Principalmente no lugar que não deveriam estar: o ateliê. Estamos esperando um armário novo para poder ajeitar tudo e ainda veremos alguns dias passarem até ele chegar. Trabalhar no sofá parece ser uma boa ideia, mas acreditem, não é, mas é o que se apresenta para o momento.
Enquanto isso, uma historinha legal (e verdadeira):
Na calçada da frente, ao lado da lixeira, tem uma planta que descobri o nome com a ajuda do tio Google: flor de cacto dama da noite. Tem formato de folhas, grandes e amarradas a uma estaca, para não esparramarem pela rua. Como o interior da casa já tem necessidades suficientes, a planta foi renegada a um "a gente arranca esse negócio e coloca uma arvorezinha legal - daqui uns meses, claro".
Domingo de manhã, notamos o que pareciam ser botões de flores, espalhados entre as folhas. Grandes, quase o tamanho de um palmo (ok, minha mão é pequena, mas os botões são bem grandes). Bom, não custava nada regar um pouco a coitada, né? Feito isso, entramos e esquecemos o assunto.
Saímos à noite e quando voltamos a surpresa: uma flor branca, linda e perfumada estava no lugar de um dos botões!
Pensei em fotografar, mas resolvi esperar o sol da manhã. Ainda não sabia que cada botão abre apenas uma vez, à noite e nunca mais. Só foi possível apreciar a beleza e o perfume naquele momento e não teve foto pra registrar.
Gostei da lembrança de que de uma coisa que parece sem vida e sem graça, de repente surgem as surpresas mais bonitas. E é melhor prestar atenção, porque pode ser uma vez só...
Encontrei uma foto :