quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Você compra de quem faz?

"Lógico! - você dirá - alguém fez este produto que estou comprando, não é?"
Bem, sim. Alguém trabalhou para que sua compra fosse possível, mas você sabe quem foi? Sabe quem pensou nesse objeto ou serviço, quem trouxe ele até você? Sua origem, se ele agride o meio ambiente, se a mão de obra empregada é legal e regulamentada? Isso te importa? 
O movimento Compro de Quem Faz (de quem somos adeptas, claro) visa a valorização da produção local, feita por artesãos que se preocupam com a qualidade e a sustentabilidade de suas obras. Fortalecer o consumo consciente, dar oportunidade a pequenos produtores, humanizar o comércio e estreitar relações também são lemas dos fundadores.
Em sua página no Facebook (https://www.facebook.com/comprodequemfaz), lançaram hoje a série "+de quem faz", com o objetivo de reunir depoimentos dos participantes. Óbvio que enviamos o nosso, que compartilhamos aqui:

"Trabalhar com as mãos é antes trabalhar com a cabeça. É ter uma ideia e conseguir torná-la real. Às vezes funciona de cara, outras vezes não. De vez em quando é necessário colocar a intenção na prateleira e esperar; lá na frente aquele projeto ressuscita com mais sentido e chega ao mundo real. 
A atividade de criar algo é de extrema satisfação. Toda a imaginação, as formas, cores e intenção de uma peça, ao se materializar no fim de horas de trabalho gera a sensação de dever cumprido, de descoberta de capacidades e superação de desafios. 
O privilégio de trazer à luz a sua própria ideia e não a de terceiros possibilita colocar em cada trabalho um pouco de si mesmo, sem intermediários, sem travas. Proporciona uma identificação com pessoas até então desconhecidas, que olham o resultado e dizem: "Nossa, era isso que eu procurava e nem sabia!" ou mesmo "Nunca tinha pensado nisso; que bacana!"
A reação positiva provocada por algo idealizado e produzido por você é uma recompensa que não se pode mensurar. E reações negativas também podem contribuir para o aperfeiçoamento  ou para a perseverança, dependendo da fonte.
E vamos sonhando com mais gente que entenda todo esse processo, que diga Compro de Quem Faz por valorizar a porção humana que vai dentro de cada embalagem."






Nenhum comentário:

Postar um comentário